palavras, idiossincrasias, verbos
o imaginário de uma teuto-oriental tupiniquim

~ ? ~ kk ~ archives ~ bookshelf ~ lyrics ~


 
 

Quinta-feira, Maio 31, 2001

 
 

~16:52~

superfície

feridas fétidas
carnes podres
e purulentas

sangram
secreções
em desatino

a dor, a febre
arrepio tremores
calafrios em
deliriuns tremins

sob a pele
cinzas de cigarro
fundos de café
em nobres xícaras
de plástico

temores de
dias e noites
insones

transeuntes neste
espaço-tempo
ilusório
de convenções
implícitas e
explícitas

ódios emanados
absorvidos
num deleite lento
e mesquinho

mentes inertes
enxames de venenos
que esparramam-se
em espessas
espumas

fumaças de
vapores cinzentos
dissolvem-se
na cidade fria

poluída em cacos
de altiplanos
que irrompem
perfuram a superfície
de medo e lodo

projetam-se na
estratosfera líquida
orgânica e fluida

oxigênio rarefeito
alimento de fogo
e calor emanado
na combustão
de sequências infinitas
de sóis e luas

com ares
serelepes
invadem a aldeia
de pajés sem caciques
pulverizando:

fétidos
vermes
rastejantes

explodem
nas cores
de um arco-íris
liso e sinérgico

queimando a
carne podre
cicatrizando as
feridas

na festa
lúbrica
dionísica
triunfa

por kktanaka ~

 
 

 

 
 
~ ? ~ kk ~ archives ~ bookshelf ~ lyrics ~
Powered by Blogger